quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Sujeira

Pensando em você
Esqueço que a vida é um problema
Funções trigonométricas
E limites que tendem ao infinito

Pensando em você
Esqueço que meus amigos
São um bando de animais
Canibais querendo me devorar

Pensando em você
Esqueço do dinheiro
O deus mais adorado deste mundo
Criado pela igreja do capitalismo

Pensando em você
Esqueço do planeta
Essa estufa gigante prestes a nos cozinhar
Em águas imundas e ares radioativos

Pensando em você
Esqueço a fome
Que nem dói na minha barriga
Mas que desespera muitos pais
Que vão presos por roubar um pote de margarina

Pensando em você
Esqueço até dos políticos
Privilegiados e protegidos
Que roubam muito mais e nem se comovem
Com a vida miserável daqueles que pagam seus salários

Pensando em você
Deito e durmo tranquilo
Sem me preocupar com pessoas
Que morrem de frio e fome
Ou na fila de hospitais esperando para serem atendidas

Pensando em você
Prefiro até parar de pensar
Pois você é muito jovem minha filha
E nem sabe dessas coisas
Que venho a te falar.

(Diego V. Natividade)

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Terça-feira

É cada aventura
Que ele se aventura...
Ouvindo vozes que o dizem o que fazer

Liberdade...
Deixando se levar
Pra onde o vento o soprar

Tentando e experimentando
Ouvindo um samba
Ao som de Angra

Que bobagem...
O mundo é grande demais
Para o tamanho dos seus braços

James,
Abrace agora o travesseiro
Pois amanhã ainda em terça...

(Diego V. Natividade)

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Estéril

Terra boa...
Solo fértil...
Mas a semente é estéril!
Seu orgulho não aceita ajuda
É perolas aos porcos

Pode mas não quer
Justifica o presente
Com a desculpa de um passado remoto
Sem objetivos para o futuro

Mas ele cresce
Vai ao inferno várias vezes
E continua dia a dia...
Esperando de boca aberta o seu fim...

(Diego V. Natividade)