quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Samba

A loucura das minhas idéias
É a explicação dos seus atos
Olho pra cima
E logo vejo o chão

Ser prudente agora
É esquecer-se de viver
Deixar como estar
Do jeito que tem que ser

Contemplo seus olhos ao som do samba
Sambando numa pedra de sabão
Numa canção inesperada
Ou nas grades dessa prisão

Botando a mão no fogo
Com a certeza de se queimar
Achando tudo lindo
Na esperança de continuar

Continuo eu assim
Sem saber o que falar...

(Diego V. Natividade)

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Lado A, Lado B

Dias das crianças...

O menino chora
Porque pediu um Play 3
Mas ganhou uma bola

Enquanto do outro lado
Eles brincam com pedras
E arrastam latinhas pelo chão

A menina faz gracinha
Pois ganhou uma bicicleta
E quer que o pai tire a rodinha

Enquanto do outro lado
Elas andam descalço
E fazem bonecas de sabugo

A criança faz birra
Porque já está com fome
E na lanchonete só tem esfirra

Enquanto isso...
Do outro lado
Comem sopa de papelão acebolado

(Diego V. Natividade)

domingo, 9 de outubro de 2011

Futuro do pretérito

A nostalgia dos meus pensamentos
Me lembra um futuro que aconteceria...

Mergulhado num infinito desespero
De saber a verdade
Antes mesmo de acontecer

Fugir não adiantaria
Mas poderia me esconder dentro de mim

Apagaria as luzes
E o sol apareceria
Até funcionaria se não fosse comigo

Provocaria um eclipse
Encobrindo toda luz

E fingiria não saber de nada
Ficaria na minha
E te deixaria em paz...

(Diego V. Natividade)