terça-feira, 31 de maio de 2011

A Rotina

Depois de algum tempo
Ambos ainda querem a mesma coisa
Mas a rotina... Um não pode mais oferecer ao outro

Surge a curiosidade!

Se aventuram, procuram e encontram
Um abraço já é suficiente
Um carinho...
Se for um beijo então...

Mas depois... Eles têm o que merecem!
E já é tarde demais

Eles se perderam...

(Diego V. Natividade)

Prosa da Paixão

Porque no começo é tudo diferente...
O desejo de não parar sacia a obrigação de ir embora
Deixando-os completamente dependentes
Dependência que parece uma droga, altamente alucinógena e viciante

O não poder se entrega ao querer de forma que ambos se transformam numa aventura louca e extravagante
E isso vai ficando cada vez mais intenso

Mas seus muros são altos como montanhas
Seria preciso derrubá-los pra conseguir um pouco mais

O desejo os faz aumentar a dose
E agora só um pouco não é mais suficiente
Eles querem mais...
O consumo é tão continuo que não há tempo pra ressaca moral

Mas seus muros são fortes como concreto, e há espinhos no caminho
Mas eles lutam
E vencem
E o tempo passa...

O tempo passa e a vontade acaba
Eles desistem e nem olham pra traz para ver o que fizeram
O que ficou de pé agora é derrubado
E o que era uma muralha não passa de um monte de entulho

Eles se arrependem
Não serviu de nada!

E eles, sozinhos, recomeçam...

(Diego V. Natividade)

segunda-feira, 30 de maio de 2011

O Pedaço

E deste pedaço da gente, que se regenera
Vai crescendo e acha que é gente
Com os olhos grudados o criador o observa
Cada passo, cada gesto, cada tombo, cada progresso

O dia é pequeno pra tanta arte
A noite é longa pra tanta energia
O sono é só um detalhe, mas que quando bate... Contagia!

Para um lado, para outro
Girando numa órbita sem sentido
Se acalma, repousa e dorme
Mas o sentinela o vigia

E se repete todo dia
Numa constante e consoante rotina
Mas o tempo passa...

O tempo passa e este pedaço já é um todo
Passa de criatura a criador
Dele se desprende um novo pedaço
Que continua este maravilhoso ciclo de amor

(Diego V. Natividade)